» como controlar os custos
Como controlar os gastos de electricidade em sua casa, sem abdicar do conforto proporcionado por esta forma de energia, sem grande dificuldade.

Precisa apenas de seguir algumas práticas de utilização racional dos seus equipamentos eléctricos tirando o máximo partido quer das suas funcionalidades e rentabilidade quer das constantes inovações tecnológicas que vão surgindo no mercado.


consumidores domésticos

1) Privilegie as soluções de iluminação baseadas em lâmpadas fluorescentes, quer as clássicas de tubos, quer as compactas. Uma lâmpada de baixo consumo de 20W proporciona a mesma luz que uma lâmpada convencional de 100W e ao final de um ano terá uma poupança de cerca de 3 euros por ano por cada hora diária de utilização.

2) Desligue as luzes quando deixa de utilizar os espaços.

3) Utilize racionalmente os dispositivos de protecção de luz das janelas (ex.: estores, persianas) de modo a evitar deixar aquecer desnecessariamente os espaços no Verão. No Inverno, consoante a exposição solar, a situação pode ser a inversa. Consome mais energia e é mais caro refrigerar ou aquecer um espaço do que iluminá-lo.

4) Utilize reguladores de intensidade nos dispositivos de iluminação dotados de lâmpadas muito potentes, ou evite-as.

5) Evite os abat-jours muito opacos, já que obrigam a utilização desnecessária de lâmpadas mais potentes.

6) Isole os espaços onde instalar fontes de aquecimento ou arrefecimento localizadas (ex.: caloríficos, ar condicionado), fechando e calafetando devidamente portas e janelas.

7) Tenha o equipamento de ar condicionado, sempre, a uma temperatura de 22 a 24ºCv.

8) Compre equipamentos informáticos com sistemas de poupança de energia “Energy Star” e desligue-os sempre que preveja ausências de utilização superiores a 30 minutos.

9) Desligue os aparelhos electrodomésticos no interruptor em vez de os deixar em stand by. Se possível, ligar alguns equipamentos (TV, vídeo, DVD, equipamento de som,…) a uma base ligação múltipla com interruptor. Ao desligar esse interruptor apagará todos os equipamentos, o que lhe permitirá poupanças anuais superiores a 40 euros.

10) Utilize sempre que possível os electrodomésticos como etiquetagem de energia da classe A+ ou A++

Frigorífico

  • Coloque o equipamento num lugar fresco e ventilado e longe de possíveis fontes de calor (fogão, forno e radiação solar).
  • Ajuste o termóstato de forma a manter uma temperatura de 5º no compartimento de refrigeração e de -18º no compartimento de congelação.
  • Descongele antes que a capa de gelo alcance os 3mm de espessura. Desta forma conseguirá poupanças de energia de cerca de 30%.
  • Limpe uma vez por ano a parte traseira do equipamento.
  • Abra a porta o menos possível e feche-a assim que possível.

Máquina de lavar e/ou secar a roupa

  • Procure adquirir equipamentos bitérmicos (puxadas de água independentes: uma para a água fria e outra para a água quente) que utilizam a água pré-aquecida por outras fontes mais eficientes (esquentador ou caldeira a gás).
  • Procure trabalhar sempre com a carga máxima.
  • Utilize os programas de baixa temperatura, excepto quando a roupa está muito suja · Centrifugar gasta muito menos energia para secar a roupa do que utilizar a opção de secagem.

Máquina de lavar a loiça

  • Seleccione o tamanho do equipamento em função das suas necessidades·
  • Procure trabalhar sempre com a carga máxima.
  • Mantenha sempre cheios os depósitos de sal e abrilhantador, pois reduzem o consumo de energia na lavagem e secagem.

Forno

  • Abra só o forno se necessário. Cada vez que o abre está a ter uma perda energética de pelo menos 20%·
  • Procure aproveitar ao máximo a capacidade do forno e cozinhe, se possível, de uma só vez o maior número de alimentos.
  • Não é necessário aquecer previamente o forno para cozinhados superiores a 1 hora · Apague o forno um pouco antes de finalizar a confecção: o calor residual será suficiente para acabar o processo.

Pequenos electrodomésticos (ferro de passar, torradeira, aspirador, …)

  • Não deixe ligados os equipamentos se vai interromper a tarefa·
  • Aproveite o calor residual do ferro para passar alguma quantidade de roupa.
  • Optimize o uso dos seus equipamentos, por exemplo na torradeira faça sempre duas torradas.

11) Desligue o esquentador em caso de ausências prolongadas: além de poupar gás evita a acumulação de resíduos da combustão e reduz a emissão de gases com efeito de estufa.

12) Verifique a sua factura de electricidade: analise se a potência contratada é adequada ao consumo real da instalação ou se poderá reduzi-la.

13) Verifique se os seus consumos privilegiam horários que beneficiariam da tarifa bi-horária, em que a energia é mais barata nas horas de vazio (à noite e aos fins de semana) e opte por esta, em caso afirmativo.

 

serviços

1. Privilegie as soluções de iluminação baseadas em lâmpadas fluorescentes, quer as clássicas de tubos, quer as compactas. Uma lâmpada convencional de 100W proporciona a mesma luz que uma lâmpada de baixo consumo de 20W e ao final de um ano terá uma poupança de cerca de 3 euros por ano por cada hora diária de utilização e têm um período de vida útil 4 a 10 vezes superior a uma lâmpada convencional.

2. Optar pela utilização de equipamentos de classe energética mais eficiente, incluindo computadores e monitores com a designação ENERGY STAR®. Nos monitores, o uso da protecção de ecrã não reduz o consumo de energia. A redução de consumo verifica-se no modo standby.

3. Desligar os aparelhos que entram em modo standby (monitores, radios, HIFI…), sempre que preveja ausências de utilização superiores a 30 minutos.

4. Desligar todas as luzes que se encontram acesas desnecessariamente, i.e., nos armazéns, nos WC’s, cozinhas, etc …

5. Verificar que todo o equipamento de escritório ligado não está ligado desnecessariamente, e.g., computadores, monitores, fotocopiadoras, impressoras, faxes, máquinas de café, etc …

6. Desligar os carregadores (transformadores) dos telemóveis, dos computadores portáteis da tomada. Se possível, ligar alguns equipamentos a uma tomada múltipla com extensão com interruptor de pé. Ao desligar esse interruptor apagará todos os equipamentos, o que lhe permitirá poupanças anuais superiores a 20 euros.

7. No Verão, promover a utilização dos estores exteriores de forma a minimizar a exposição solar das salas, reduzindo a necessidade de refrigeração condicionada. No Inverno, promover a maximização de exposição solar de forma a reduzir a necessidade de aquecimento e a utilização de iluminação artificial. Consome mais energia e é mais caro refrigerar ou aquecer um espaço do que iluminá-lo.

8. Verificar a programação térmica e horária dos aparelhos de HVAC e águas sanitárias Tenha o equipamento de ar condicionado regulado para uma temperatura de 22ºC no Inverno e 24ºC no verão. As águas sanitárias garantem a sensação de conforto com temperaturas entre os 30ºC e os 35ºC.

9. Utilize os equipamentos de refrigeração/aquecimento com as janelas e portas, sempre que possível, fechadas.

10. Manutenção periódica dos equipamentos de refrigeração – limpeza dos filtros, dos permutadores (quer no evaporador quer no condensador) e do ventilador.

11. Verificar se os equipamentos de refrigeração estão instalados longe de fontes de calor (protegidas do sol, longe de fogões ….)

12. Verifique periodicamente a sua factura eléctrica. Confirme se está na opção tarifária mais adequada. Compare as suas condições com as oferecidas por outros fornecedores no mercado.

13. As suas tarifas de energia eléctrica apresentam preços diferenciados por período horário e eventualmente por tipo de dia da semana. Verifique e divulgue estes horários. Concentre as suas poupanças de energia nos períodos onde os preços são mais elevados.

14. Procure transferir consumos dos períodos de ponta (preços mais elevados) para os períodos adjacentes. Estas acções podem ser utilizadas em climatização sem afectar o conforto, atendendo à inércia térmica dos edifícios.

15. Verifique se a sua factura eléctrica inclui consumos de energia reactiva. Se tal acontecer deverá considerar o investimento em equipamento de compensação. Este tipo de investimentos apresenta períodos de recuperação muito curtos.